sábado, 29 de agosto de 2015

DEPUTADOS DO PMDB PODEM DEIXAR PARTIDO



O PMDB pode sobre uma baixa considerável nos próximos dias, perdendo seus três deputados federais. Nos bastidores, a informação que circula é que os três parlamentares – Aníbal Ferreira Gomes, Danilo Forte e Vitor Valim – estariam de malas prontas para trocar de legenda.

A queixa é de que o senador Eunício Oliveira, também presidente regional do PMDB, tem recebido espaço por parte do governo federal para fazer nomeações, mas não tem consultado a base. Fontes do PMDB confirmam o movimento de saída dos parlamentares, mas pedem reserva.

Aníbal

O deputado Aníbal Gomes admite que ouviu falar sobre o assunto, mas pondera que, por ora, não vai deixar o partido. Contra o peemedebista pesa um processo de expulsão por infidelidade partidária, mas, mesmo assim, afirma que a única divergência é política com Eunício, e, por isso, não pretende deixa a legenda.

Segundo ressaltou o parlamentar, possui boa relação com a cúpula do PMDB. “Por ora, não. Meu desentendimento é político com Eunício. Não tem nada pessoal. Com todo PMDB, tenho bom relacionamento. Tenho uma relação excelente com a cúpula nacional”, disse ao ser questionado sobre sua possível desfiliação.

Danilo

Danilo Forte confirmou ter recebido convite do PSB para se filiar a legenda, mas não há nada definido. O convite foi feito pela família do ex-governador Eduardo Campos, falecido em acidente aéreo no ano passado. Ele diz que estuda a possibilidade de contribuir na formação de um novo modelo político. Danilo não quis dar detalhes sobre o motivo da desfiliação, justificando que vem tratando do assunto individualmente e negou haver divergências internas.

Valim

Procurado pela reportagem, Victor Valim disse que o assunto não passa de “boato”. Por meio de sua assessoria, afirmou se tratar de “boatos inverídicos”. O parlamentar se filiou ao PMDB em 2011, quando deixou o PHS. Valim, inclusive, já foi vereador e, hoje, nos bastidores, é tido como possível nome à Prefeitura de Fortaleza no ano que vem.

Rebelião

O vice-presidente do PMDB Ceará, Gaudêncio Lucena, minimizou a rebelião ao tratar do assunto. Segundo ele, não existe insatisfação e, por fim, disse que o assunto tratava-se de “boato da imprensa”.

Fonte: O ESTADO

QUASE 90% DOS MUNICÍPIOS TÊM PÁGINA NA INTERNET, DIZ IBGE




                          Pesquisa do IBGE mostra que 48% dos estados ainda não disponibilizam a cobertura wi-fi Antônio Cruz/Agência Brasil

Quase 90% dos municípios brasileiros têm página na internet, informa o estudo Perfil dos Estados e dos Municípios Brasileiros 2014, divulgado nesta quarta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De 2012 a 2014, o crescimento foi 14 pontos percentuais: passou de 74,5% para 88,7%.

Quase metade das páginas (2.430) tem fonte de informação, recebe informações e dados de cidadãos, empresas e outros órgãos. Cerca de 31,3% (1.548) são páginas na internet que permitem pagamento de contas, de impostos, matrículas ou de inscrições, chamadas transacionais. Além disso, 17% (857) são páginas apenas informativas.

Levantamento feito dois anos antes (2012), pelo IBGE, mostrava quadro bastante diferente em relação aos municípios com páginas na internet: 65,3% das cidades tinham páginas apenas informativas, 26,8% dos municípios tinham páginas interativas e apenas 6,8%, transacionais.

A pesquisa de 2014 mostra que todas as administrações estaduais exibem páginas na internet que oferecem ao cidadão a possibilidade de realizar transações como pagamento de contas, de impostos, de matrículas ou de inscrições.

De acordo com a gerente da pesquisa do IBGE, Vânia Pacheco, o estudo mostra que houve uma aproximação na relação dos governos estaduais e municipais com a sociedade devido ao aumento significativo de ferramentas interativas nas páginas da internet.
O Perfil dos Estados e dos Municípios Brasileiros 2014 investigou oito temas nas 27 unidades da federação e nos 5.570 municípios: recursos humanos, comunicação e informática, educação, saúde, direitos humanos, segurança pública, segurança alimentar e vigilância sanitária.

Wi-fi

Sobre o acesso por conexão via wi-fi à população, estudado pela primeira vez em 2014, constatou que 48% dos estados ainda não disponibilizam esse serviço. Dos 52% que oferecem, 7,5% ofereciam o serviço gratuitamente.

Na esfera municipal, 26,2% dos municípios davam acesso por conexão wi-fi. Apenas 79 municípios brasileiros oferecem total cobertura wi-fi (5,4%).

IBGE – CEARÁ TEM HOJE 8,9 MILHÕES DE HABITANTES


                                                            Imagem: cnews.

A população brasileira superou a marca dos 204 milhões de habitantes neste ano. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgadas nesta sexta-feira (28), no Diário Oficial da União, o país tinha em 1° de julho deste ano, 204.450.649 habitantes. No ano passado a população estimada era 202.768.562.

O IBGE também divulgou as populações estimadas das 27 unidades da federação e dos municípios brasileiros. O estado mais populoso do país, São Paulo, tem 44,4 milhões de pessoas. Outros cinco estados têm populações que superam os 10 milhões de habitantes: Minas Gerais (20,87 milhões), Rio de Janeiro (16,55 milhões), Bahia (15,2 milhões), Rio Grande do Sul (11,25 milhões) e Paraná (11,16 milhões).

Três estados têm populações menores do que 1 milhão: Roraima (505,7 mil), Amapá (766,7 mil) e Acre (803,5 mil).

As demais unidades da federação têm as seguintes populações: Pernambuco (9,34 milhões), Ceará (8,9 milhões), Pará (8,17 milhões), Maranhão (6,9 milhões), Santa Catarina (6,82 milhões), Goiás (6,61 milhões), Paraíba (3,97 milhões), Amazonas (3,94 milhões), Espírito Santo (3,93 milhões), Rio Grande do Norte (3,44 milhões), Alagoas (3,34 milhões), Mato Grosso (3,26 milhões), Piauí (3,2 milhões), Distrito Federal (2,91 milhões), Mato Grosso do Sul (2,65 milhões), Sergipe (2,24 milhões), Rondônia (1,77 milhão) e Tocantins (1,51 milhão).






sexta-feira, 28 de agosto de 2015

PAU QUE BATE EM CHICO PODE BATER EM FRANCISCO?



VAMOS CONTEXTUALIZAR
O outro lado em debate

A Polícia Federal e o Ministério Público fecharam o cerco para os institutos dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ambos os institutos são acusados de receberem doações de empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção e contratos fraudulentos na Petrobras, que provocaram um rombo bilionário aos cofres públicos do país, como a Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa.
Batizada de Erga Omnes, expressão latina que no meio jurídico significa que os efeitos da lei atingiram todos os envolvidos, a décima quarta fase da Lava Jato mira as duas maiores empreiteiras do país, a Odebrecht e a Andrade Gutierrez. No entanto, no que diz respeito aos respectivos institutos de Lula e FHC, até o dado momento, a Erga Omnes não funcionou.
O presidente do Instituo Lula, Paulo Okamotto, foi convocado a ir à CPI da Petrobras para prestar esclarecimentos sobre as doações recebidas pela entidade da Camargo Corrêa. Okamotto declarou que as mesmas doações recebidas pelo instituto de Lula, foram as mesmas recebidas pelas de ex-presidentes, como FHC.
Quando questionado sobre a doação dessas empreiteiras que estão sob investigação da justiça ao seu instituto, FHC declarou não haver “problema nenhum”.
Em 2002, a Revista Época fez uma reportagem especial sobre o Instituto de Fernando Henrique Cardoso. Na época, o jornalista responsável pela matéria, Gerson Camarotti, ouviu o procurador Rodrigo Janot, e o mesmo declarou que não havia nada de ilegal.
Fernando Henrique está tratando de seu futuro e não de seu presente, explicou o procurador. O problema seria se o presidente tivesse chamado empresários ao Palácio da Alvorada para pedir doações de favores e benefícios concedidos pelo atual governo.
Parafraseando Janot, que ao assumir o cargo de Procurador Geral da República declarou que “pau que bate em Chico também bate em Francisco“, é correto afirmar que, se do ponto de vista legal, é válido convocar membros do instituto Lula para depor na justiça, o mesmo deve ser feito aos líderes da entidade do tucano,por também ter recebido recursos das empreiteira que estão sob investigação.
No entanto, até a conclusão deste artigo, nenhum responsável pelo instituto do tucano foi convocado a prestar algum esclarecimento sobre os recursos fornecidos pelas empreiteiras.