sexta-feira, 21 de novembro de 2014

POLÍCIA MILITAR DE MARTINÓPOLE CUMPRE MANDADO DE PRISÃO E PRENDE DOIS ELEMENTOS.


Edilson Leite
Policiais militares do destacamento de Martinópole, sob o comando do Subtenente Marcos, prenderam dois indivíduos através de mandados de prisão.

O primeiro foi preso durante a tarde de terça-feira, 18, no município de Massapê. Os policiais militares daquela cidade estavam realizando policiamento ostensivo pelo subúrbio quando abordaram o elemento Edilson Leite de Arruda, (vulgo Saci), 36 anos. Os militares descobriram que contra ele havia um mandado de prisão por crime de tráfico de drogas oriundo da vara única vinculado de Martinópole expedido no dia 20-02-2014 pelo Dr. Fernando de Sousa Vicente.

Francisco Odeon
Os militares do destacamento de Martinópole se deslocaram até a cidade de Massapê e conduziram o dito acusado para DPC em Uruoca e apresentaram a autoridade competente, sendo que posteriormente ele foi recambiado para cadeia pública de Granja, onde ficou recolhido.

Já durante a manhã desta quarta-feira, 19, policiais militares de Martinópole e policiais civis de Uruoca cumpriram um mandado de prisão e prenderam Francisco Odeon de Sousa da Silva, 27 anos, o qual é acusado de tráfico e homicídio.

Efetuaram as prisões: Sds Maia, Agildo, Nogueira e Mayke

Informações: CamocimPolícia 24h - Imagens Blog Uruoca de Prima



sábado, 15 de novembro de 2014

MORADORES REALIZAM MANIFESTAÇÃO PARA COBRAR COLETA DE LIXO EM PRAIA DE JERICOACOARA

Na manhã desta quinta-feira, 13, Moradores de Jijoca de Jericoacoara, realizaram uma manifestação para cobrar coleta de lixo na praia da Vila de Jericoacoara.

Segundo os moradores da região, não está havendo coleta de lixo, o que estaria causando a proliferação de ratos e insetos. O grupo usou cartazes e gritou palavras de ordem durante a manifestação.

Conforme a Polícia Militar (PM) do município, a manifestação foi totalmente pacífica. O órgão não soube precisar a quantidade de pessoas no protesto. Os moradores terminaram a ação por volta das 12h.

Denúncias nas redes sociais
Na última segunda-feira, 10, os moradores denunciaram o acúmulo de lixo nas ruas próximas à praia de Jericoacoara. Eles utilizaram as redes sociais para protestar.

De acordo com um documento intitulado “Eles Já Sabem de Tudo!”, assinado pelo presidente do Conselho Comunitário de Jericoacoara, Elenildo Silva, e entregue a representantes do governo municipal, vários pontos da cidade estavam tomados pelo lixo. O texto critica ainda o maltrato de animais, problemas na saúde e no turismo.


(O POVO Online )

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

INSTALAÇÃO DE ADUTORA É UMA DAS ALTERNATIVAS PARA RESOLVER O PROBLEMA DE FORNECIMENTO DE ÁGUA EM MARTINÓPOLE, SEGUDO A CAGECE.

Açude Jardim - Martinópole/CE
No mês de setembro deste ano a produção do Blog Acontece conseguiu ter acesso aos documentos fornecidos a Procuradoria Geral do Município de Martinópole-PGM pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará-CAGECE, mas só agora nossa produção resolveu publicar.
Açude Gangorra - Granja/CE
Segundo consta a documentação, a CAGECE admite não alcançar o padrão de potabilidade para os padrões físico-químicos de cor e turbidez da água, porém, quanto aos parâmetros bacteriológicos tem-se conseguido obedecer, na totalidade do espaço amostral, os limites exigidos pela Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde. Ainda segundo documentação, foi instalado em janeiro de 2014 um pré-filtro no intuito de que a pré-filtração fornecesse uma água de melhor qualidade, paralelo a isso estava sendo instalado outro filtro, também foi definida uma rotina de manobras visando a otimização na distribuição. Como alternativas de solução para o problema de fornecimento de água existe uma proposta da CAGECE a qual foi acatada pela COGERH, de instalação de uma Adutora de Montagem Rápida com captação no açude Gangorra, situada a 20 km da Estação de Tratamento de Água de Martinópole, que se encontra em estudo técnico/financeiro e em acompanhamento do Comitê da Seca.

ENTENDA MAIS
Diante do caos no fornecimento de água e considerando as reclamações da população que questionam tanto a qualidade como a falta de água, a Procuradoria Geral do Município de Martinópole, por meio de seu Procurador Geral, determinou a abertura de procedimento administrativo interno no âmbito da procuradoria, Solicitando informações da Companhia de Água e Esgoto do Ceará, sobre adotar as medidas necessárias à resolução do problema e firmar TAC – Termo de Ajustamento de Conduta.

Na manhã do dia 04 de setembro na sede da Procuradoria Geral do Município, os procuradores Dr. Ângelo Manoel, Dr. Mauro Monção, os representantes da Companhia de Água e Esgoto do Ceará – CAGECE, a senhora Maria do Socorro, Coordenadora técnica da UNBAC, senhor Jonas Morais, gestor interino da CAGECE no município, Senhor Francys Clay, supervisor de produção, participaram de uma audiência que teve como objetivo buscar medidas necessárias para resolver os problemas de fornecimento de água ao município de Martinópole pela CAGECE.

A Sra. Maria do Socorro técnica da UNBAC, disse que o fornecimento de água ao município de Martinópole é sério, tendo sido encaminhado pela CAGECE para o Comitê de Convivência com a Estiagem, composta por diversos órgãos do estado e que, segundo estudos a melhor forma para se resolver seria a construção de uma adutora de montagem rápida para se trazer água do açude Gangorra do município de Granja. Informou ainda, que a equipe presente na audiência não teria legitimidade para qualquer compromisso para a resolução do problema devendo ser contactada a Procuradoria jurídica da CAGECE-PROJUR.

Diante dos fatos, não sendo possível a formulação de TAC naquela data, o procurador geral do município de Martinópole, Dr. Ângelo solicitou da representante da CAGECE que apresentasse a PGM no prazo de 20 dias, os documentos necessários como: Contrato social ou Lei de constituição da referida entidade, laudo técnico sobre o sistema de abastecimento de água de Martinópole, cópia do contrato atual de concessão compactuado entre o referido município e CAGECE, pois segundo o Dr, Ângelo o referido documento não foi deixado pela gestão anterior, também solicitou todas as informações circunstanciadas sobre quais estudos necessários e existentes na CAGECE, para a resolução do problema do fornecimento de água em Martinópole, salientando que se a responsabilidade for de terceiro, que decline qual órgão.

Via Blog Martinópole Livre

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

PREFEITO DE MARTINÓPOLE RECEBERÁ PRÊMIO NACIONAL



O prefeito do município de Martinópole, James Martins Pereira Barros, receberá no XII Encontro Nacional de Prefeitos, o prêmio de Prefeito Cidadão 2014. O evento acontece de 2 a 5 de novembro deste ano, em Gramado - RS

De acordo com Premium Brasil Group, a organização, o Natal Luz, é um dos maiores eventos natalino da América do Sul. O que tem show de luzes, fogos, ruas enfeitadas, etc.

Está prevista na programação: Palestras com renomados Doutores em Gestão Pública; Workshps; Debates e muitas trocas de ideias sobre Administração Pública Municipal.

O prefeito James, está entre os 30 prefeitos de diferentes cidades do país, que será homenageado amanhã dia 04 com a “Comenda Prefeito Cidadão 2014”.

EUNÍCIO É FAVORITO PARA ASSUMIR A PRESIDÊNCIA DO SENADO

Em meio ao clima de embate entre líderes do PMDB e a presidente Dilma Roussef (PT) em torno da votação de “projetos bomba”, uma outra discussão já envolve os bastidores do Congresso Nacional: a definição de quem irá comandar a Câmara e o Senado a partir da próxima legislatura.

Se de um lado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) já está lançado como candidato à presidência da Câmara, ainda não é certa a disposição de Renan Calheiros continuar à frente do Senado. Caso o senador alagoano desista da reeleição, o cearense Eunício Oliveira é o favorito, informa a revista Época dessa semana, na coluna do jornalista Felipe Patury.

Eunício tem a simpatia do PMDB, da oposição e um travo por saber que a presidente Dilma Roussef cogita dar um ministério a Cid Gomes (PROS)”, informa a coluna. 

(Blog Wilson Gomes) 

domingo, 2 de novembro de 2014

MARTINÓPOLE, É DIFICIL ENCONTRAR ENDEREÇOS



Ruas com mais de um nome e casas sem numeração visível, esses são apenas alguns dos problemas enfrentados pelos motoristas e o único carteiro em Martinópole.
Martinópole tem um grande número de ruas que tem nomes, mas não têm placas ou as casas não possuem numeração.

Em março de 2013, o vereador João Sampaio apresentou a Câmara de vereadores um projeto de indicação que trata da denominação do Conjunto Habitacional que fica próximo ao Posto de Saúde Moura Fé, porém até esta data não há uma placa que identifique o referido conjunto habitacional, pior ainda, como na maioria dos municípios do país as empresas de telefonia, energia e água não unificam os endereços e numeração das residências isto atrapalha todos que precisam de endereços exatos para prestar serviços, participar de concursos, abrir conta etc.

Temos diversos bairros no município em situações precárias quando o assunto é sinalização de ruas. De forma tímida, algumas ruas e avenidas mostram placas com alguns destinos. Entretanto, a maioria não há placas de sinalização indicando nenhum local.
Apesar dos moradores afirmarem que nunca enfrentaram problemas com a desorganização dos números, para o único carteiro que precisa fazer a entrega, a ausência de uma identificação adequada é sinônimo de demora.

Não tem problema, não. Todo mundo já sabe onde é. As cartas chegam direitinho”, afirma um morador.

Do Blog: - Já imaginou você entregar carta ou procurar uma rua que tem cinco nomes? Sem dizer que a maioria das ruas não tem placa de identificação e as casas não têm numeração.
Para quem mora ou trabalha na cidade já é complicado, imagine então para quem chega de fora.
Sabemos que existem outras demandas prioritárias para a população e que a gestão municipal fará o possível para atendê-las, mas não poderíamos deixar de fazer nosso papel quanto imprensa, informando e lembrando que algo não pode cair no esquecimento.

Por Luciano Silva -Martinópole Livre

CRÍTICA DE CID AO PMDB COMPROMETE IDA À ESPLANADA DOS MINISTÉRIOS



Do governador Cid Gomes: “O PMDB é um mal terrível, que tem que ser combatido organizadamente, racionalmente e inteligentemente. É um ajuntamento de secções regionais que não tem nenhuma identidade, mas um interesse em comum: chantagear governos”.
Está aí a maior prova da determinação de Cid de ir embora para os Estados Unidos e não aceitar convites para ocupar um Ministério. O Governo precisa do apoio do PMDB e não vai abrir mão de manter a sigla na base aliada.
A fala de confronto do governador com o PMDB não é adequada a alguém que pode aceitar ir para a Esplanada dos Ministérios. Perguntado se não era importante o papel do PMDB em controlar o PT, Cid disse o seguinte: “É, mas o PMDB também precisa ser controlado”.
Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (2)

NORDESTINOS: PRECONCEITOS CRUZADOS




Da Coluna Menu Político, no O POVO deste domingo (2), pelo jornalista Plínio Bortolotti:
Certa vez, conversando com um grande empresário cearense do ramo de alimentos, ouvi dele uma história exemplar. Quando começou a mandar seus produtos para o sul, ele retirou da embalagem qualquer marca que pudesse identificar a fabricação nordestina, inclusive omitindo o endereço completo da empresa. Como na época era permitido, ele omitia os dados completos da localização da fábrica, anotando o seguinte endereço na embalagem: “BR 116, km tal”, sem enunciar o nome da cidade.
 Como poucos sabem o modo como uma rodovia é demarcada, ficava mascarado o exato local da sede da empresa. Foi a forma encontrada para driblar o preconceito contra produtos fabricados no Nordeste. O mais irônico, contou, acontecia em recepções das quais participava: era comum ouvir elogios de “madames” ao produto, considerando-o “delicioso”, em comparação com a “má qualidade” do que era fabricado no Ceará. O empresário, silenciosamente, divertia-se: “Mal sabiam elas que comiam o que era feito aqui bem pertinho”.
 Lembrei da história devido à onda de preconceito que assomou com mais vigor depois da reeleição de Dilma Rousseff (PT) à presidência. “Burro” foi a mais gentil ofensa com a qual os nordestinos foram brindados – a escala passava por xingamentos diversos, chegando ao ponto de preconizar um holocausto contra a “raça”. Observem: há uma cerca simbólica (se pudessem muitos a fariam real) de Minas Gerais para cima em que tudo se torna indistinto e abominável. Para esse tipo de gente todos os nordestinos são “burros”; vagabundos, que preferem uma rede ao trabalho; e vivem dolentemente às expensas da riqueza gerada por São Paulo: “Non ducor duco” (não sou conduzido, conduzo) está inscrito brasão da capital paulista.
 São Paulo é apenas, digamos assim, um símbolo, dessa má ideia, que encontra adeptos nos demais estados do Sul e Sudeste. Não é por acaso que todo migrante nordestino, chegando a São Paulo, não importa a origem, vira imediatamente “Ceará”; se cair no Rio de Janeiro, é “Paraíba”.
 Desditosamente, como podemos observar pela história do empresário, esse preconceito encontra guarida entre os próprios nordestinos, não sei se campeia entre as outras classes, ou apenas entre a “elite”. Assim, o preconceito tem uma espécie de efeito dominó: o Sul/Sudeste tem preconceito contra os nordestinos de modo geral e, estes (normalmente os privilegiados) têm seus próprios “nordestinos”: os pobres, aqueles que vivem nos interiores, no “sertão”.
 O que é, senão isso, o ódio contra o Bolsa Família, que desaguou em uma “leva de preguiçosas” que não aceita mais trabalhar na casa da madame a troco de um quartinho insalubre e um salário miserável? O que é senão a revolta do sinhozinho contra o trabalhador rural que não se deixa mais escravizar? O que é isso senão a ironia contra o pedreiro que fica “botando banca”, sem aceitar uma diária que mal dá para pagar a quentinha e a passagem do ônibus?
 Meus irmãozinhos, leiam o editorial do jornal O Globo (28/10/2014), e ponham a mão na consciência.