terça-feira, 31 de maio de 2011

Chaval:O feitiço caiu sobre o feiticeiro

Polícia Federal Investiga falsidade de documentos utilizados em denúncia feita pela coligação de Paulo Pacheco na justiça eleitoral
Depois da investigação sobre as assinaturas da Prefeita Cassada de Chaval/CE Janaline Pacheco, a Policia Federal iniciou mais um trabalho de perícia em assinaturas de documentos constantes de processos movidos pela coligação da prefeita e seu irmão.

É que o ex-prefeito de Chaval/CE, o médico Dr. Meireles e o atual vereador de oposição Fernando Falcão de Souza durante suas campanhas eleitorais em 2008, sofreram uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral a qual visava cassar os mandatos de ambos.
A acusação formulada pela Coligação capitaneada pelo principal rival político de ambos, o ex-prefeito Paulo Pacheco, dizia respeito à uma suposta compra de voto. Constava na denúncia que o Médico Dr. Meireles havia captado o voto de uma eleitora em troca de uma cirurgia de Laqueadura de Trompas (ligação), sendo que o vereador Fernando Vida Cigana, à época candidato é quem teria intermediado a negociação.
Constava dentre as provas juntadas pela coligação uma declaração assinada pela referida eleitora atestando que o fato ocorreu da forma como estava narrado na denuncia.
O vereador Fernando ao saber do fato que o mesmo entendia ser calunioso, resolveu abrir um TCO contra a referida eleitora. O Destacamento de Policia Militar de Chaval/Ce notificou a mesma para prestar depoimento na delegacia, quando na oportunidade, um fato surpreendente aconteceu. A eleitora declarou perante à autoridade policial que desconhecia os fatos. Além do mais, afirmou que certa vez foi levada à casa do irmão do ex-prefeito, o Sr. José Pindaíra Pacheco, para ser orientada a sustentar os fatos que a mesma alega serem mentiroso.
Sustentou que a declaração juntada aos autos do processo era falsa, pois não reconhecia sua assinatura e que jamais o Médico Meireles e muito menos Fernando Falcão sequer pediram seu voto, pois nem os conhece pessoalmente. Sustentou ainda que nunca fez qualquer cirurgia de ligação com o médico em questão.
Resultado: A ação foi julgada improcedente declarando a inocência de Fernando e Dr. Meireles.
Ocorre que o feitiço acabou caindo sobre o feiticeiro. Fernando inconformado com a calunia, resolveu processar José Pindaíra Pacheco e o representante da coligação Sr. Manoel Geová, conhecido como Geová Maranhense. O processo tramita sob o número: 192.2011.606.0108.

Pois bem, o processo foi remetido à Policia Federal para que se conclua a investigação, podendo as pessoas acima citadas, respoderem por crime de Falsidade, quadrilha e outros tipos penais previstos na legislação.

Vamos aguardar o desenrolar do processo.
Blog do Jorge Umbelino
Postar um comentário