quinta-feira, 7 de março de 2013

SESSÃO NA CÂMARA...



Durante a sessão de ontem na câmara dos vereadores o então vereador Etevaldo pediu vistas no projeto de lei enviada pelo o executivo que trata dos salários dos servidores temporários.
No que se diz respeito a carga horária e salários dos servidores a bancada oposicionista na câmara não aprovou o projeto alegando inconstitucionalidade, pois nem um servidor deve ganhar menos que um salário mínimo.

Para a bancada do governo não se trata de inconstitucionalidade, haja vista que todo aquele que trabalhar 4 horas diárias receberá meio salário e consequentemente quem trabalhar  8 horas receberá um salário mínimo.  A diferença no salário será mediante a função e horas trabalhadas por cada servidor e que isto será temporário até que a situação do município se normalize.

De nada adiantou, por três votos a seis, o projeto não foi aprovado, apenas os vereadores João Sampaio, Betão e João Neto foram a favor do mesmo. Durante a deliberação da pauta a multidão vaiou os vereadores de oposição, em certo momento o presidente da casa vereador Ney Monte pediu afastamento para puder assim discursar como vereador comum, dá seu parecer sobre a pauta.

Na ocasião, quando tratado sobre o salário referente a dezembro de 2012, o prefeito James Bél que estava presente se pronunciou reafirmando seu compromisso em pagar os salários atrasados.

Segundo informações esta contratação de pessoal com (20hs), em algumas funções seria temporária conforme seleção simplificada realizada no município e com o decorrer da gestão a situação seria normalizada conforme a necessidade da municipalidade.
Conclui-se que os servidores temporários que acabaram de ser selecionados para trabalhar 20 horas semanais serão prejudicados.

Em tempo: As pessoas citadas nesta postagem tem o direito de resposta.

Postar um comentário