segunda-feira, 17 de junho de 2013

TRAIÇÃO SEM CULPA É CARACTERÍSTICA MASCULINA? ESPECIALISTAS ANALISAM



Não é surpresa dizer que a nossa sociedade beneficia o homem com certa liberdade quando o assunto é traição. É como se a atitude dele fosse mais aceita e, muitas vezes, até valorizada, o que ajuda a levantar as suspeitas de que, quando eles traem, sentem menos culpa do que as mulheres. Contribui para essa ideia o fato de muitos acreditarem que o homem tem maior facilidade de separar sexo de sentimento. Mas será mesmo que traição sem culpa é uma característica masculina?

A pesquisa Mosaico Brasil, realizada em 2008 e coordenada pela médica psiquiatra Carmita Abdo, fundadora e coordenadora do ProSex (Programa de Estudos em Sexualidade) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, aponta que a infidelidade feminina cresceu nos últimos anos, enquanto a masculina, mesmo que na liderança, se mantém, de certa forma, estável.

Embora homens se digam muito mais infiéis do que as mulheres, estudo mostra que situação tem mudado.

Não é surpresa dizer que a nossa sociedade beneficia o homem com certa liberdade quando o assunto é traição. É como se a atitude dele fosse mais aceita e, muitas vezes, até valorizada, o que ajuda a levantar as suspeitas de que, quando eles traem, sentem menos culpa do que as mulheres. Contribui para essa ideia o fato de muitos acreditarem que o homem tem maior facilidade de separar sexo de sentimento. Mas será mesmo que traição sem culpa é uma característica masculina?

A pesquisa Mosaico Brasil, realizada em 2008 e coordenada pela médica psiquiatra Carmita Abdo, fundadora e coordenadora do ProSex (Programa de Estudos em Sexualidade) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, aponta que a infidelidade feminina cresceu nos últimos anos, enquanto a masculina, mesmo que na liderança, se mantém, de certa forma, estável.

De acordo com o estudo, que contou com 8.200 entrevistas em 10 capitais nacionais, 49,5% das casadas com idade entre 18 e 25 anos revelaram que traem seus maridos. Um salto em relação ao número de confissões de mulheres de 40 a 50: dessa faixa, 34,7% assumiram a traição. Apenas 22% das mulheres com mais 70 admitiram terem sido infiéis. 

Entre os homens de 18 a 25 anos, cerca de 65% se dizem infiéis. Na faixa entre os 40 e 50, o número aumenta para aproximadamente 70%. Já entre os 60 e 70, o índice é de cerca de 75%.

(Uol) 

Postar um comentário