quinta-feira, 10 de outubro de 2013

MARTINÓPOLE – SESSÃO DA CÂMARA DE VEREADORES


Grande expectativa dos martinopolenses para a sessão na câmara de vereadores desta quinta-feira (10), haja vista que no último dia 26 de setembro, a Câmara Municipal de Martinópole recebeu denúncias contra o Prefeito as quais foram invalidadas através de mandato de segurança expedido pelo Dr. Fernando Vicente de Sousa, juiz da comarca vinculada de Granja. A ação foi invalidada porque a Câmara não cumpriu os requisitos legais. As denúncias foram feitas por um comerciante local das quais não possui fundamento.


Antes mesmo de iniciar os trabalhos a então presidenta da Câmara solicitou que a polícia Militar fizesse a revista nas pessoas que assistiriam a sessão, ação que deixou alguns constrangidos, porém válida na opinião da grande maioria das pessoas.

Em plenária foram rejeitados três requerimentos do vereador João Sampaio, os quais tratam da prestação de contas, licitações e estrutura administrativa da Câmara. Em relação a prestação de contas, o vereador disse que a presidenta da casa ainda não fez a devida prestação em plenária como manda o regimento interno da casa, ainda segundo João Sampaio o balancete das contas deve ser apresentado até o décimo quinto dia do mês subsequente, fato que a presidenta não vem fazendo desde que assumiu a presidência da casa.

“Vale ressaltar que a presidência da Câmara esta tendenciosa em atacar única e exclusivamente o prefeito, prova disso foram as denúncias da bancada, pois a mesa simplesmente rejeitou, exemplo foi quando apresentei denúncia contra o ex. presidente Ney Monte a presidenta encerrou a sessão para não continuar a votação e hoje as denúncias fundamentadas de provas apresentadas pelo prefeito James foram rejeitadas pela mesma. Que imparcialidade tem esta casa do povo?” indagou o vereador João Sampaio.

Também foram apresentadas denúncias a desfavor da vereadora Rogila e o vereador Ney Monte, pois segundo o processo, os vereadores não possuem endereço fixo no município os quais foram eleitos como representantes do povo Martinopolense. As denúncias foram fundamentadas na Lei 201/67 , Art. 5º e 7º§1º. Segundo consta na denúncia o vereador Ney Monte tem endereço residencial na cidade de Sobral e a vereadora Rogila na capital cearense.

 Em tempo: As denúncias em desfavor dos vereadores acima citados, não foram aceitas (foram rejeitadas) pela maioria, prevalecendo portanto, a vontade do povo que elegeu os dois de forma democrática para serem seus representantes no legislativo municipal de Martinópole.

Postar um comentário