sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

BATE-BOCA NA AL EM DEFESA DO MOBILIÁRIO DO TCE


Deputados da base aliada de Cid Gomes (Pros) saíram em defesa do contrato de R$ 1,1 milhão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para compra de mobiliário de novo anexo da Corte. Da tribuna da Assembleia, os aliados Mauro Filho (Pros) e Camilo Santana (PT) tiveram rápido bate-boca com o opositor Heitor Férrer (PDT), que acusa contrato de comprar itens de luxo, inclusive poltronas de mais de R$ 7 mil."O Tribunal precisa de estrutura física adequada para continuar realizando sua função de maneira eficaz", disse Camilo Santana.

Mauro Filho defendeu que o processo foi feito dentro do que prevê a legislação, afirmando ainda que a mobília é uniforme para todos os gabinetes de procuradores e conselheiros da Corte.O deputado defendeu também uma das peças previstas no contrato - um sofá de três lugares avaliado em R$ 11,4 mil. Segundo ele, a aquisição não é peça de gabinete, mas sim de sala de espera, de uso comum. "Além disso, todas as compras têm garantia de cinco anos, por isso o valor é um pouco mais elevado".Logo após a defesa, Heitor Férrer voltou a criticar o contrato. "Um sofá por 11 mil é coisa de luxo, refinada. Na minha visão, quem deve ter esse luxo são pessoas ricas e não órgão público mantido por um povo pobre como é o do Ceará", disse.
 
Na última quarta-feira, 11, Heitor denunciou o contrato milionário na Assembleia.O TCE emitiu nota defendendo a legalidade do contrato, que teria seguido ata de preços registrados e com licitações. O Tribunal alega que a escolha dos itens adquiridos priorizou qualidade e menor preço.

Informações: neacontece


Postar um comentário