sábado, 26 de abril de 2014

CRISE: VEREADOR LÍDER DO PREFEITO DE QUIXADÁ NA CÂMARA MUNICIPAL ENTREGA FUNÇÃO

Na última quinta-feira, 24, os vereadores rejeitaram por maioria de votos, pedido de intenção estadual na saúde pública do município de Quixadá. No plenário a população sentiu a ausência dos vereadores Audênio Morais e Evaristo.

Nesta sexta-feira, 25, o vereador Audênio Morais (foto), deu satisfação por meio de uma nota e também informou que não participará de bloco de oposição ou situação, além de ter entregue a liderança do governo. Morais tem dez anos como parlamentar.

“.... sempre fui e sou um vereador atuante no plenário da Câmara, apresentando propostas e projetos para o bem de nossa cidade. Se quiserem constatar isto é só verificarem na Câmara qual o vereador tem a maior quantidade de projetos aprovados e constatarão que sou eu...”, enfatizou e acrescentou que mesmo tendo a missão de ser líder da gestão atual, sempre se posicionou de forma independente, muitas vezes contrariando posições da própria gestão.

“...mesmo com tanta bagagem parlamentar, vejo-me acusado dos mais variados adjetivos porque faltei a uma importante sessão onde seria votada uma interdição no município. Uma matéria mais do que justa e necessária diante do caos que se instalou na saúde de Quixadá”. O vereador em seguida continua: “A minha ausência nesta sessão é a comprovação deste caos, pois tive que me deslocar para a vizinha cidade de Quixeramobim atrás de um socorro para um jovem de minha comunidade que foi acidentado e nosso hospital não teve condições de operá-lo, nem eu o deixaria nas filas do IJF. Da mesma maneira tive que doar meu tempo também para dar assistência, junto com minha mulher, a uma pessoa de nossa família que está necessitando de muito apoio na sua saúde agora...” Um dia anterior Audênio disse que avisou o vereador Higo.

Por último, o vereador Audênio Morais comunicou: “Aproveito este espaço para comunicar a todos que entreguei a liderança da gestão ao Sr. Prefeito, agradecendo sua confiança, pois não tenho mais condições políticas de dar sustentabilidade à gestão como líder do governo”.

“Continuarei na Câmara votando e defendendo o que acho certo e bom para o povo de Quixadá, a quem devemos nosso mandato”, finalizou.

Informações: revistacentral

Postar um comentário