segunda-feira, 16 de junho de 2014

FINAL DE SEMANA TEM QUATRO CANDIDATOS OFICIALIZADOS



A corrida à Presidência da República ganhou, nesse final de semana, mais quatro candidatos. As convenções movimentaram militantes e convencionais do PSDB, PSC, PV e PSTU. Os tucanos, sem definição do candidato a vice-presidente, lançaram o ex-governador de Minas Gerais e senador Aécio Neves. O PSC entra na disputa com o pastor Everaldo. O PV vai concorrer ao Palácio do Planalto com o ex-deputado federal Eduardo Jorge, enquanto o PSTU vai mais uma vez de Zé Maria.

Empolgados com o crescimento da candidatura de Aécio Neves, que chegou a 20% de intenções de votos, de acordo com pesquisas do Instituto Datafolha, Ibope e Vox Populi, os tucanos reuniram mais de 5 mil militantes em São Paulo, mas saíram da convenção sem definir o candidato a vice-presidente.

Um dos nomes cotados é o ex-governador e ex-senador cearense Tasso Jereissati. Outros dois nomes são Henrique Meireles (PSD), ex-presidente do Banco Central no Governo Lula, e o senador Aloisio Nunes, do PSDB – ambos de São Paulo. O PSDB tem até o dia 30 de junho para comunicar ao TSE a escolha do vice.

A decisão de adiar a escolha do vice é estratégia e está dentro do planejamento do PSDB para avaliar se a melhor alternativa é um nome do Sul e Sudeste, ou do Nordeste. A demora faz parte, ainda, das articulações que o PSDB realiza em São Paulo para atrair o grupo do ex-prefeito e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. Kassab, que prometeu apoiar à reeleição da presidente Dilma Rousseff, é cotado para candidato na chapa de reeleição do Governador Geraldo Alckmim. Se o PSD o indicar, a vice de Aécio Neves, na corrida ao Palácio do Planalto, poderá ficar para o Nordeste. O nome mais cotado é de Tasso Jereissati.

CONVENÇÃO

Durante a Convenção Nacional, Aécio Neves fez críticas ao Governo Dilma e recorreu aos seus laços políticos com os mineiros que construíram história na vida pública do País para definir o começou da sua caminhada rumo ao Palácio do Planalto. “A minha responsabilidade, se já era grande, hoje é ainda maior. Se coube a JK (Juscelino Kubitschek), há 60 anos, permitir o reencontro do Brasil com desenvolvimento, coube a Tancredo (Neves), 30 anos depois, fazer o país se reencontrar com a democracia. Outros 30 anos se passaram, agora vamos conduzir o país a decência.”, disse Aécio Neves, que, com 54 anos de idade, disputa a sua primeira eleição presidencial.

O controle da inflação, segundo Aécio Neves, está sendo perdido e o País precisa de moralidade e ética na política. “No lugar de um novo e prometido salto, perdemos o rumo. Inflação está de volta atrasando a agenda nacional. O Brasil não aceita mais o Estado cooptado e aparelhado. Quer o fim dos escândalos em série e corrupção endêmica. Por todo território nacional, vemos um enorme cemitério de obras inacabadas”, criticou o tucano.

PSTU X Zé Maria

O PSTU lançou, mais uma vez, pela quarta vez, a candidatura do sindicalista José Maria, Zé Maria, à Presidência da Repúbica. Ele concorreu ao Palácio do Planalto nas eleições de 1998, 2002 e 2010. Zé Maria mantém o mesmo discurso, defendendo um Estado menos privatizado e a luta contra os banqueiros.

“Queremos mudança. É preciso que o Brasil tenha um governo que tenha coragem de romper com banqueiros e as grandes empresas. Para fazer com que a riqueza e os recursos que o nosso país tem possam garantir saúde, educação, moradia, transporte coletivo, reforma agrária e aposentadoria, ou seja, vida digna para o povo brasileiro”, disse Zé Maria.


(Ceará agora)


Postar um comentário