quinta-feira, 18 de setembro de 2014

NÃO FOI DESTA VEZ, PROJETO DO EXECUTIVO SEGUE NOVAMENTE PARA ANÁLISE E DEVE SER APROVADO COM EMENDA.

Na manhã desta quinta-feira (18), a Câmara de Vereadores esteve mais uma vez lotada por populares, isso se deu devido aos comentários de que o polêmico Projeto de Lei que trata da geração de emprego na cidade através da permanência da fábrica de calçados seria rejeitado mais uma vez pelos vereadores de oposição ao prefeito.
Segundo o Projeto de Lei 09/2014, se aprovado for, gerará um impacto financeiro aos cofres publico estimado em R$ 1.098.900,00 até janeiro de 2016. Os valores citados fazem parte de uma estimativa sempre condicionada à adequação orçamentária e mediante a abertura de crédito adicional complementar ao orçamento em execução, a ser aberto com autorização do Legislativo, o texto também diz que não existe perspectiva de renuncia de receita diante dos possíveis benefícios com a geração de emprego.

O vereador da base governista do prefeito João Sampaio, pediu a mesa diretora da Câmara urgência na votação do Projeto, falou da sua indignação a respeito da morosidade em relação a análise e aprovação do referido projeto.

“Considero isto uma falta de respeito com os trabalhadores, o projeto com as alterações foi entregue a esta casa 8 dias atrás, mas até data de hoje não foi feita uma audiência com a comissão para analisá-lo, infelizmente vai ser votado daqui a 15 dias, se é que vai ser votado”. Complementou João Sampaio.

Ney Monte, vereador da base oposicionista antes de falar sobre a pauta em questão, cobrou mais respeito àqueles vereadores que estão subindo aos palanques para ofender os colegas e, que de certa maneira isso poderá gerar problemas e questões que o mesmo não quer que aconteça.
Sobre a Pauta em questão, o vereador disse que se o referido Projeto tivesse sido entregue com o relatório do impacto financeiro e com as alterações solicitadas o mesmo já tinha sido aprovado.

“Eu jamais agiria de forma irresponsável e politiqueira porque a geração de emprego sempre foi uma das minhas bandeiras, esta é uma causa nobre, agente não pode ficar contra, mas temos que fazer as coisas da forma que são corretas”. Acrescentou Ney Monte.
Quando perguntado sobre sua satisfação na alteração do texto e uma possível aprovação do projeto, Ney disse que provavelmente será aprovado com emendas.

A presidenta da Câmara Bruna Aguiar, disse que o Projeto 09/2014 é um projeto novo e que seguirá o Regimento da casa.
“Após comissão constituída, vamos enviar para assessoria jurídica, as comissões vão se reunir para dar um parecer, logo após poderemos acelerar o processo para ser colocado em votação”. Disse Bruna.


Postagens relacionadas:
Postar um comentário