sábado, 3 de janeiro de 2015

VEREADORES DE MARTINÓPOLE IGNORAM COMUNICADO DA PRESIDENTA DA CÂMARA E REALIZAM ELEIÇÃO DA NOVA MESA DIRETORA DA CASA EM PRAÇA PÚBLICA.



Em Martinópole mais um capítulo da política local chamou atenção da imprensa regional.
Vereadora Rogisla lendo a Ata
Na véspera da eleição para composição da nova mesa diretora da Câmara de vereadores do Município a vereadora e presidenta da câmara Bruna Aguiar (PDT) expediu ofício circular suspendendo a sessão. Segundo o ofício Circular a sessão teria sido cancelada porque a chapa “União e Trabalho” tinha em sua composição o vereador Ney Monte (PSD), pois o mesmo já havia sido presidente, quando então o executivo municipal moveu ação sob a argumentação que o mesmo como professor do IFCE e endereço residencial em outra cidade, não poderia ser presidente da câmara; De modo que o executivo conseguiu liminar com o afastamento provisório em primeira instância, que já dura 1 ano e 8 meses. Tal ação até perdeu o objeto devido ao fim do mandato. A presidente argumentou ainda que o vereador Ney Monte compondo a nova chapa no cargo de vice-presidente planejava, segundo a vereadora Bruna, voltar a presidência.

Após conhecimento do ofício, os vereadores de oposição se reuniram sendo que o vereador Ney Monte por iniciativa própria achou melhor desistir de compor a chapa “União e Trabalho”. Assim sendo, tiveram que compor uma nova chapa tendo como presidenta Rogisla Fernandes (PV), vice-presidente Etevaldo Frota (PSD), primeiro-secretário vereador Minoso, segundo – secretário Simone da Paz (PSD).
Vereadores: Minoso, Etevaldo, Simone, Rogisla e Ney Monte

A nova composição da chapa foi protocolada conforme o prazo regimental, mas como a vereadora e presidenta da casa Bruna Aguiar tinha oficializado o cancelamento da sessão se fazia necessário uma nova data para que uma nova sessão acontecesse, mas os cinco vereadores de oposição entenderam como uma tentativa de impedir a eleição da nova mesa diretora da Câmara, assim, ignoraram o comunicado e deram prosseguimento aos trabalhos. Com ausência da presidenta da Câmara Bruna Aguiar o primeiro-secretário precisou assumir os trabalhos, com a Câmara de portas fechadas a sessão ocorreu em praça pública em frente ao prédio da Câmara com o acompanhamento da Polícia Militar. No final da votação e evidentemente, a Chapa “União e Trabalho” foi a vencedora e provavelmente assumirá a partir da primeira semana de Janeiro.

Segundo a vereadora Bruna Aguiar essa eleição ocorrida na calçada poderá ser considerada nula, pois a sessão estava cancelada conforme ofício circular expedito.

Com informações Blog o Cartão Vermelho – Imagens Redes Sociais 


Ofício Circular expedido pela Vereadora Bruna Aguiar

Postar um comentário