quarta-feira, 19 de agosto de 2015

ANOTAÇÕES SOBRE A MESA DO DELEGADO DE CAMOCIM REVELAM SUPOSTO ENVOLVIDO NO CRIME DO RADIALISTA GLEYDSON CARVALHO.



Na passagem por Camocim, último dia 10 de agosto, quatro dias após o assassinato do radialista Gleydson carvalho, um dos procurados pelo repórter do 180 para falar sobre o caso foi o delegado responsável pela condução do inquérito, Herbert Ponte e Silva. Durante o tempo de conversa, algo em torno de 32 minutos, foram feitas 20 fotografias do delegado, como esta abaixo.

Uma das fotos do delegado Herbert Ponte e Silva, no momento da entrevista, e os escritos sobre sua mesa - Foto:180
  
Os registros chamaram atenção por conta da existência de papéis contendo escritos sobre a mesa do delegado. Neles, há pelo menos quatro papéis visíveis, com letras escritas a próprio punho. São dois menores e dois maiores, sendo uma folha de papel caderno e a outra, A4.

Quando se inverte a foto, e se amplia a imagem, aparece anotações como esta acima...
  
Ao se inverter as fotos, e aumentar as imagens, surgem detalhes interessantes. Num dos escritos que aparecem na folha de caderno, que durante a conversa com o jornalista foi virada pelo delegado, diz: “Ligação feita pelo Batista Dentista para o estado do Pará para contratar o pistoleiro Israel Marques Carneiro vulgo “Baixinho” que estava morando naquele estado na cidade?? “Perguntar a Gisele” 

“Gisele” é Gisele de Souza Nascimento, uma das presas na questionável operação da Polícia Civil realizada no distrito de Serrota, pertencente ao município de Senador Sá, a mais 80 quilômetros de Camocim, onde também foi preso Francisco Antônio Carneiro Portela.
Nesse episódio da prisão, dois pistoleiros, que segundo depoimento de Gisele também estavam na casa ‘invadida’, fugiram pela porta dos fundos, quando a Polícia adentrou a casa pela frente. De onde se extraiu esse dado, o papel traz a data no seu canto esquerdo superior de “09/08/2015”. Uma das muitas informações disponíveis e visíveis nas mais de 20 fotografias registradas.

NOME DO DEPUTADO “ESTADUAL DUQUINHA” ESTÁ NOS ESCRITOS

O nome do Deputado Duquinha aparece nos escritos do delegado Herbert Ponte e Silva
  
Num papel menor, sobre a mesa do delegado, aparece também o que seria “Fazenda do Dep. Duquinha”, que fica na região de Serrota. E nesse distrito que fica a casa onde foram presos dois supostos envolvidos no assassinato. No pequeno papel os escritos sugerem:
 “Fazenda do Dep. Duquinha”
“Localidade de Serrota depois pega Varjota Rei (ou boi) Manso depois Leite”
- Pergut... na fazenda.
- estão (...) no mato.
- só a... 
Duquinha é o deputado estadual (Manoel Duca, do PROS), este flagrado pelo sistema de comunicação da Assembleia Legislativa do Ceará, enquanto presidia uma sessão, dizendo, sorrindo, após a morte de Gleydson: “Com todo respeito a você, Ely [Aguiar, do PSDC, outro deputado, radialista, que rendia homenagem a Gleydson], mas esse era coisa muito ruim, esse homem. Com todo respeito, esse aí não valia nada”.

Esta postagem veio confirmar o que tinha dito o delegado de policia civil Dr. Herbert, em entrevista de rádio (13/08/2015), o mesmo afirmou que caso Gleydson Carvalho estava cabalmente elucidado, inclusive com identificação e qualificação dos participantes, a prisão dos acusados seria uma questão de tempo. Porem até agora a Polícia Civil não capturou os dois pistoleiros, muito menos o suposto mandante, dentre aqueles cinco integrantes com quem ela trabalha para encerrar o caso.

Vale ressaltar que nas anotações do delegado não aparece nome de nenhum prefeito e muito menos vereadores descartando a priori, o envolvimento destes.
Com Imagens e informações: Site de noticias 180graus

Postar um comentário