sábado, 29 de agosto de 2015

DEPUTADOS DO PMDB PODEM DEIXAR PARTIDO



O PMDB pode sobre uma baixa considerável nos próximos dias, perdendo seus três deputados federais. Nos bastidores, a informação que circula é que os três parlamentares – Aníbal Ferreira Gomes, Danilo Forte e Vitor Valim – estariam de malas prontas para trocar de legenda.

A queixa é de que o senador Eunício Oliveira, também presidente regional do PMDB, tem recebido espaço por parte do governo federal para fazer nomeações, mas não tem consultado a base. Fontes do PMDB confirmam o movimento de saída dos parlamentares, mas pedem reserva.

Aníbal

O deputado Aníbal Gomes admite que ouviu falar sobre o assunto, mas pondera que, por ora, não vai deixar o partido. Contra o peemedebista pesa um processo de expulsão por infidelidade partidária, mas, mesmo assim, afirma que a única divergência é política com Eunício, e, por isso, não pretende deixa a legenda.

Segundo ressaltou o parlamentar, possui boa relação com a cúpula do PMDB. “Por ora, não. Meu desentendimento é político com Eunício. Não tem nada pessoal. Com todo PMDB, tenho bom relacionamento. Tenho uma relação excelente com a cúpula nacional”, disse ao ser questionado sobre sua possível desfiliação.

Danilo

Danilo Forte confirmou ter recebido convite do PSB para se filiar a legenda, mas não há nada definido. O convite foi feito pela família do ex-governador Eduardo Campos, falecido em acidente aéreo no ano passado. Ele diz que estuda a possibilidade de contribuir na formação de um novo modelo político. Danilo não quis dar detalhes sobre o motivo da desfiliação, justificando que vem tratando do assunto individualmente e negou haver divergências internas.

Valim

Procurado pela reportagem, Victor Valim disse que o assunto não passa de “boato”. Por meio de sua assessoria, afirmou se tratar de “boatos inverídicos”. O parlamentar se filiou ao PMDB em 2011, quando deixou o PHS. Valim, inclusive, já foi vereador e, hoje, nos bastidores, é tido como possível nome à Prefeitura de Fortaleza no ano que vem.

Rebelião

O vice-presidente do PMDB Ceará, Gaudêncio Lucena, minimizou a rebelião ao tratar do assunto. Segundo ele, não existe insatisfação e, por fim, disse que o assunto tratava-se de “boato da imprensa”.

Fonte: O ESTADO

Postar um comentário