sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CASAL SUSPEITO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE RADIALISTA É PRESO.



Casal que encontrava-se na residência- Foto/blog do Fernando Ribeiro
Após a execução do radialista Glaydson Carvalho, de 36 anos, ocorrido ontem em Camocim que policiais militares e civis vêm trabalhando em conjunto. Durante a madrugada, enquanto policiais civis e militares percorriam toda a região, surgiu uma informação que a os acusados estariam homiziados no distrito de Serrota, zona rural do município de Senador Sá.

Uma equipe da Polícia Civil chegou ao local e invadiram uma casa onde os suspeitos estavam. Um casal foi preso e pelo menos outros dois ou três conseguiram escapar, dentre eles os que teriam executado o radialista. A informação é que a casa serviu como local onde o crime foi planejado e como esconderijo após o sinistro. Ainda no local, equipes da Polícia Militar teriam encontrados uma foto do radialista e também passagens compradas para fugir do Estado.
Um dos pistoleiros foi identificado como Tiago, que teria escapado junto com o comparsa pelo matagal. Neste momento, a Polícia mantém um cerco naquela região, entre os Municípios de Senador Sá, Uruoca, Moraújo e Martinópole, na tentativa de localizar os pistoleiros. Por determinação do secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, equipes do Comando Tático Rural (Cotar) dão apoio na operação.

A operação de campo está sendo chefiada pelo coronel Carvalho, comandante do 3º BPM (Sobral) e pelo major Artunane, de Camocim.  Já o delegado-regional de Camocim,  Herbert Ponte e Silva, prossegue nos interrogatórios do casal Francisco Carneiro Portela, 18 anos; e Gisele Sousa  do Nascimento, 23,  donos da casa em Senador Sá onde os pistoleiros pernoitaram entre  quinta-feira e a madrugada de sexta,  descansando após o assassinato e a fuga em uma moto.

Os assassinos provavelmente iriam fugir, ainda hoje, de ônibus com destino ao Piauí. Bilhetes de passagens foram encontrados na casa. 

As armas localizadas pela Polícia deverão ser submetidas a perícia balística em Fortaleza.

Mandante?

Agora, com a prisão e identificação dos envolvidos na autoria material do crime, a Polícia Civil parte para a segunda fase da investigação, tentar identificar quem teria sido o mandante  do crime. Para o delegado regional Herbert  Ponte e Silva, não há mais dúvidas de que se tratou de um crime de execução sumária, descartando a possibilidade de uma possível tentativa de assalto. 

Com informações: blog do Fernando Ribeiro


Esta semana foi tensa, vários outros crimes aconteceram na região.
 AQUI

Postar um comentário