quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

SENADOR EUNÍCIO OLIVEIRA TENTA SOLUÇÃO PARA AGRICULTORES ENDIVIDADOS



Além da prorrogação do prazo para que agricultores possam renegociar suas dívidas, questão já inserida na Medida Provisória (MP 701/15), o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) pediu ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, uma solução definitiva para que os produtores endividados junto às instituições financeiras voltem a produzir.

A conversa aconteceu na última segunda-feira (15), durante reunião dos líderes partidários da base aliada no Senado com a presidente Dilma Rousseff e sua equipe econômica. Eunício informou que tem conversado com a presidência do Banco do Nordeste, que segundo ele, tem apresentado propostas viáveis a serem apresentada através da MP 701.

De acordo com o senador, as previsões meteorológicas indicam que a Região Nordeste enfrentará mais um ano de seca severa, agravada pela ocorrência do fenômeno El Niño, e por mais este motivo, é necessário pensar numa solução a longo prazo e que não seja temporária. “Tive uma conversa com o ministro para que a gente possa encontrar uma solução para essa questão dos agricultores. Eu estou aqui com o material apresentado pelo Banco do Nordeste e preciso do aval do ministro da Fazenda, disse.

O líder peemedebista acrescentou ainda que já está falando com os demais líderes partidários, principalmente os que representam os estados da Região Nordeste, para que eles também possam se unir a essa luta. “Queremos aumentar ainda mais essa mobilização para que seja possível um texto negociado com o ministério da Fazenda”, avaliou.

Financiamento aos Estados

Ainda sobre a reunião dos líderes com a presidente Dilma Rousseff, Eunício destacou que entre os temas tratados também esteve a ampliação do limite financeiro para que os Estados do Nordeste possam adquirir novos financiamentos. 

Apesar de fazer referência a sua atuação oposicionista ao atual governo do Estado do Ceará, Eunício observou que defende a abertura do limite para a realização de obras de infraestrutura e atração de investimento que beneficiem a população. O que na avaliação dele, não se enquadraria a obra do Acquário. “Eu não vou deixar de construir alternativas para desenvolver o meu estado. Porque essas alternativas de construção do desenvolvimento vão beneficiar a toda a população”, afirmou.

Outras questões discutidas na reunião e que devem pautar o Congresso nesse início de ano foram citadas por Eunício. A mudança da regra de exploração do petróleo do pré-sal, a derrubada do veto ao dispositivo que destina parte dos recursos a serem repatriados aos estados e municípios, a independência do Banco Central, a Lei de Responsabilidade das Estatais e a definição de limite global para o montante da dívida da União.

Com informações: CNews

Postar um comentário