quarta-feira, 9 de agosto de 2017

LIBERDADE DE EXPRESSÃO, REDES SOCIAIS E PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

A situação se agrava a cada dia, governantes ditadores continuam querendo calar os servidores com ameaças de processo, perda de emprego e no mínimo transferência. Onde vamos parar meu povo?

Casos assim são recorrentes em nossa região. Na ultima semana, mais uma servidora granjense foi advertida porque publicou no Facebook seu pensamento sobre os últimos acontecimentos naquele município.

Protestar atraso de salário, dizer que determinado político não lhe representa e fazer questionamentos sobre a politica de um determinado governo é motivo para punição?

Lembram-se do caso do enfermeiro que usou seu blog “Rota de Impacto” para questionar a contratação do cantor Luan Santa no inicio de 2017? pois é, este também faz parte de uma dezena de vitimas que receberam punição por expressar seu ponto de vista. Em pleno século XXI, ainda tem governantes que se acham acima da Lei. Lamentável.

Do jeito que a coisa vai, os servidores estão proibidos de fazer críticas ao serviço público (mesmo que construtivas), porque se fizerem serão mal interpretadas.

Se assim for, meus caros amigos, recomendo finge-se de idiota, porque independência intelectual e espírito público causam pavor a estes gestores. Distancie-se das pessoas que são taxadas como adversários, por mais que sejam seus amigos de longas datas, porque “amigo de inimigo, inimigo é”; e nunca, nunca traje vestimentas com as cores da oposição, porque eles são esquizofrênicos!

Para quem não quer seguir recomendações acima, recomendo atitude firme e coragem. Coragem é a característica mais importante para ajudar a acabar com a perseguição política sofrida por servidores públicos – seja qual for o motivo.

A perseguição é, infelizmente, uma prática frequente nas repartições públicas. Ela é tratada como uma forma de mostrar aos demais funcionários que determinada prática não deve ser seguida. Advogados alertam para a importância de denunciar este tipo de assédio.

Hoje há muitos canais para se denunciar a perseguição. Se for muito grave, pode ser feita diretamente no Ministério Público. O assédio sempre existiu, mas não se pode deixar que tal atitude seja classificada como algo comum e mais uma rotina de trabalho.
Por Luciano Silva



Postar um comentário