quinta-feira, 12 de março de 2015

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA AO GOVERNO




A perseguição continua, assim, torna-se difícil focar no bem estar do povo.
Na medida em que sonhos tornam-se realidade a oposição fecha os olhos e fingi não enxergar a mudança acontecer. Diversos poços profundos foram construídos em Martinópole.

Respeito ao trabalhador, atualização dos salários, organização da carga horária e disponibilização do contra cheque, objeto nunca visto na gestão anterior, muitos dos servidores não sabiam o que realmente recebiam e, pior, trabalhavam, mas não podiam comprovar renda.

As praças na atual gestão receberam reformas ou foram totalmente refeitas. Afinal, isso é que vem fazendo o atual gestor, corrigindo os erros deixados pelo passado.

Sabemos das brigas, intrigas e perseguições que um prefeito sofre quando não tem maioria na câmara de vereadores, ou vise versa. Faz dois anos que o município deixa de avançar com celeridade, um dos motivos, são as picuinhas. O povo precisa saber o que realmente se passa nos bastidores da política de Martinópole. Alguns políticos ou seus representantes, não querem o bem de Martinópole. O foco deles é meramente “PODER”.

Numa democracia não é certo fazer aquilo que apenas interessa a um grupo, toda via, é o que mais se presenciou em Martinópole. Antes podia tudo, quem trabalhava não tinha um salário digno, quem não precisava bater ponto ganhavam bem, hoje alguns desses que ganhavam sem trabalhar estão insatisfeitos, pois tem que cumprir com horário, bater ponto, já os desocupados, vive nas esquinas falando da vida alheia.

Para que Martinópole continue crescendo com desenvolvimento, é necessário esquecer as diferenças, deixar as picuinhas, arregaçar as mangas e trabalhar juntos em prol da população.
Postar um comentário