sexta-feira, 19 de setembro de 2014

EM GRANJA, EUNÍCIO OLIVEIRA PROMETE REFORÇAR DIVISAS PARA COMBATER O NARCOTRÁFICO

O candidato ao Governo do Ceará pela Coligação “Ceará de Todos”, Eunício Oliveira (PMDB), em visita ao município de Granja na manhã dessa quinta-feira (18), defendeu que um dos setores mais ineficientes do atual Governo e uma das áreas para a qual a população mais exige melhorias é a segurança pública. 

Ao lado de Roberto Pessoa, seu candidato a vice, e Tasso Jereissati, candidato a senador, o peemedebista disse que o fechamento das divisas do Estado será uma das principais medidas de sua gestão para combater o tráfico de drogas.

Em entrevista à imprensa, Eunício afirmou que 90% dos municípios cearenses já apresentam venda e consumo de entorpecentes, motivos importantes para o Ceará ter os elevados índices de criminalidade de hoje em dia. Somente em 2013, mais de 4.300 assassinatos foram registrados no Estado. Neste ano, de janeiro a julho, já foram 2.966 ocorrências.

O Ceará faz divisa com os estados do Piauí, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. “As divisas devem ser fechadas para os traficantes. O Ceará não produz droga. Ela vem de fora. Nós vamos fechar as fronteiras pra evitar isso. Temos que ter um programa de combate veemente aos traficantes e, simultaneamente, tratar dos dependentes químicos”, declarou.

GOVERNO ATUAL

Eunício Oliveira argumenta que o fechamento das divisas cearenses com força policial qualificada é reivindicação antiga da sociedade civil, de estudiosos da violência urbana e de deputados estaduais (inclusive de componentes da base do atual governador). Contudo, nunca foi implementado. Projetos chegaram a ser apresentados na Assembleia Legislativa com este teor, mas foram completamente ignorados pelo Palácio da Abolição.

A máxima feita pela Secretaria Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) foi a criação de um batalhão para atuar no Interior. Mas o pequeno efetivo do Comando Tático Rural (Cotar) e problemas estruturais impediram a eficácia da estratégia. “Podiam ter feito parcerias com os outros estados para fecharem as divisas. Mas não fizeram. A arrogância, a falta de diálogo e a má gestão marcam a segurança pública do Ceará. Fazem as coisas sem planejamento, sem ouvirem ninguém”, acrescentou o peemedebista.

QUALIFICAR O RONDA

Além de fechar as fronteiras, o candidato reforçou a proposta de dobrar o efetivo do RAIO e levar a corporação para combater a violência no Interior. Eunício também prometeu aperfeiçoar o programa Ronda do Quarteirão, criado pelo atual Governo em 2008 e, segundo ele,  completamente desvirtuado da sua função original de fazer policiamento comunitário, próximo do povo. “Onde o Ronda estiver instalado, nós vamos ampliar. Nós vamos qualificar e unir as polícias, que hoje trabalham isoladamente. A atual política de segurança do Ceará é dramática”, classificou.

Eunício comprometeu-se com a contratação de mais policiais e com a aquisição de equipamentos mais modernos para as investigações, hoje ineficientes, apresentarem índices melhores de elucidação de crimes. Atualmente, menos de 10% dos assassinatos cometidos no Estado têm autoria desvendada pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
Ao lado de Roberto Pessoa e Tasso, Eunício participou de motocarreata e caminhada pelo centro de Granja.

Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre os cinco menores do estado, Granja tem localidades que sequer contam com água encanada. Os carros-pipa também não abastecem a todos. Muita gente acaba comprando carradas de mil litros d’água a R$ 20.
De Granja, os candidatos seguiram para Camocim, outro município da Região Norte, onde concederam entrevista à rádio Pinto Martins (98,7 FM).


Fonte: assessoria da coligação “Ceará de Todos”.


Postar um comentário