quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O IMPASSE CHEGOU AO FIM?



Por Luciano Silva



Temos a informação que, a vereadora Rogisla é a legitima presidente da Câmara de vereadores de Martinópole.

Assim sendo, mais uma vez, esperamos que as benções de Deus permitam que os vereadores tenham um ano proveitoso e que as relações entre os Poderes Municipais possam se estreitar e se fortalecer, permitindo a concretização de tudo àquilo que o povo martinopolense deseja, que é a realização do bem estar da população que confiou essa nobre missão naqueles vereadores a quem votaram.
 
Depois dos atos vergonhosos ocorridos naquela casa e noticiados na mídia, acreditamos que não precisava, o dialogo sempre foi o melhor caminho.

Não encontramos uma palavra que se encaixe para nomear as atitudes daqueles que incitaram os atos de vandalismo. Pessoas sensatas que representam o povo jamais deveriam se envolver em atos de violência, mas sim, o diálogo.
 
Esperamos que cenas vergonhosas como aquelas divulgadas mundialmente pela mídia não se repitam e que os representantes do povo possam trabalhar em prol dos martinopolenses.

Cuidar do bem estar do nosso povo e investir no desenvolvimento social continua sendo um dos principais a obrigação fundamental do Municipal. E, para alcançar esse objetivo, é de grande relevância o entrosamento entre os Nobres Edis, que tem a missão de fiscalizar e intermediado conquistas para a comunidade colaborado no diálogo e entendimento junto a administração municipal.
 
O Poder Legislativo Municipal, representado pela Câmara de Vereadores, é um dos que mais se aproxima da comunidade. As Câmaras são compostas por vereadores eleitos pelo povo que deliberam sobre assuntos de interesse do Município. Os vereadores são os representantes da sociedade e devem ser os porta-vozes dos interesses locais. Dentre as funções da Câmara Municipal, é possível destacar:

 
 - Legislativa: é a função preponderante da Câmara e resume-se na atividade de legislar, ou seja, os vereadores elaboram, discutem e analisam projetos que, após aprovados, se tornam leis municipais, que regulam a administração do Município e a conduta dos munícipes no que se refere aos interesses locais.

 
 - Fiscalizadora: no papel de fiscalizar, a Câmara deve investigar se foram observados os princípios da legalidade, moralidade, conveniência, bem como os aspectos econômicos da cidade, operacionalidade e legitimidade, a fim de garantir um governo íntegro, honesto e eficiente, que é o que a sociedade e o povo espera. Basicamente os Vereadores fiscalizam o trabalho do Poder Executivo acompanhando a execução e a observância das leis. Já os aspectos financeiros, contábeis e orçamentários são controlados e fiscalizados com o auxílio do Tribunal de Contas.
 

 - Julgadora: a Câmara julga as contas do Município, observando se o Executivo está gastando corretamente o dinheiro que é arrecadado.
 

- Deliberativa: a Câmara organiza seus serviços administrativos, elabora seu Regimento Interno, além de empossar o prefeito e o vice-prefeito municipal.
 

Uma Câmara de Vereadores como Poder Legislativo é a garantia de liberdade de um povo porque os seus representantes são escolhidos e eleitos pelo voto popular. A Câmara Municipal é a célula da democracia.
 

Assim, entendemos que somente trabalhando com honestidade, julgando com transparência, probidade e atendendo os anseios da população, será possível realizar tudo aquilo que foi planejado e proposto. Tornando-se uma Câmara Municipal que terá o respeito da população martinopolense.
 
Fonte: Martinopole Livre


Postar um comentário