quinta-feira, 12 de maio de 2016

REFLEXÕES POLITICAS - PRESSA EM APONTAR, RAPIDEZ EM OCULTAR



Por Ro Souza
"Sempre desconfio de quem se apressa em apontar os erros alheios. A pressa ao apontar o erro alheio pode significar, ao mesmo tempo, a necessidade em manter seus próprios em segredo".
Ao se falar de política falamos em gestão, capacidades administrativas ou a falta dela, falamos em fatos relevantes ao desenvolvimento, porque quem está preocupado com a municipalidade se atém aos argumentos para melhorá-la.
Na política, quando um grupo se apressa em denegrir seus oponentes pode significar duas coisas distintas:

1º - o medo de se confrontar com quem está preparado, ou que tenha grande aceitação popular. Do contrario não haveria necessidade de usar de artimanhas pouco honestas, como diz o velho ditado popular: "ninguém chuta cachorro morto".

2º - Quem se apega a política da agressão, não terá tempo para se preocupar com o que é realmente importante em uma disputa eleitoral, que é o planejamento de governo, onde as boas ideias e os projetos poderão ser apresentados aos eleitores, em busca do convencimento baseados em argumentos validos.

Como diz outra postagem que li (muito coesa por sinal): "ABERTA A TEMPORADA DE AGRESSÕES PESSOAIS" acredito que esteja aberta também a temporada de avaliações e reflexões sobre o que queremos para o governo, sobre quais as formas de fazer política queremos para o nosso município.
Reedição Professor Luciano Silva
Postar um comentário