terça-feira, 21 de março de 2017

MARTINÓPOLE FESTEJA 60 ANOS DE FUNDAÇÃO

Com desfile para a escolha da miss e mister Martinópole, atividades esportivas e festa popular, o município de Martinópole, a 310 quilômetros de Fortaleza, festeja, sábado e domingo, o seu Jubileu de Diamante.
Próximo domingo, 26, é o dia oficial de fundação da cidade. No entanto, a Prefeitura municipal já iniciou as comemorações dos 60 anos de Martinópole.
Banda Chicabana e Taty Girl - Foto: divulgação
As principais atrações do 60º aniversário do município serão Taty Girl e banda Chicabana, que irão animar a noite de sábado, 25 de março, em praça pública. No domingo 26, Martinópole comemorará o dia do Evangélico. O cantor gospel, Rildo Freitas será a atração do II ADORA MARTINÓPOLE.

Martinópole

Com uma extensão aproximada de 300 quilômetros quadrados, Martinópole apresenta uma população de 10.214 habitantes (segundo Censo de 2010). O atual prefeito do município é Francisco Fontenele Júnior.

A economia da cidade está baseada na pecuária, na agricultura de subsistência e na exploração da cera de carnaúba.

As principais culturas do município são mandioca, milho, feijão e castanha de caju. Referente ao extrativismo vegetal destaca-se a exploração da lenha e da carnaúba. No que diz respeito à pecuária, destacam-se as criações de suínos, caprinos e bovinos, como também a criação de aves.

História da cidade

O município de Martinópole foi criado por meio da lei de nº 3.560, em 26 de março de 1957, assinada pelo então governador Paulo Sarasate. O município originou-se de um povoado denominado Angica, formado por imigrantes procedentes das localidades de Santa Quitéria, Crateús, Santana do Acaraú e Riachão (hoje município de Uruoca, vizinho a Martinópole).

A comunidade começou a se formar em Angica ao redor de uma lagoa, que na época pertencia ao município de Granja. A fazenda era de propriedade do português Antônio Diogo, residente em Granja, e que exercia o cargo de “cônsul”, naquele município.

Sua formação tem raízes na construção da Ferrovia Sobral-Camocim e consta como seu fundador o monsenhor Vicente Martins, que era vigário paroquial da jurisdição.

A denominação Angica originou-se de uma árvore conhecida popularmente como “angico”, pertencente à família das leguminosas monáseas, existente à margem esquerda da lagoa e que servia de sombra para o gado e também para as pessoas se protegerem do sol escaldante da região.

A mudança do nome Angica para Martinópole aconteceu em homenagem ao monsenhor Vicente Martins da Costa, devido à grande ajuda que o religioso prestou aos moradores da então pequena comunidade. Por intermédio da Câmara Municipal dos vereadores de Granja, a mudança aconteceu no ano de 1971.


Como no Estado de São Paulo já havia uma cidade como o nome de Martinópolis, a antiga Angica teve que ser registrada como Martinópole, a fim de evitar constante troca de correspondências devido à coincidência com o nome das duas estradas de ferro: Estrada de Ferro de Sorocaba, de São Paulo e Estrada de Ferro de Sobral, ambas registradas com EFS.

Saiba mais sobre martinópole clicando aqui...
Postar um comentário