terça-feira, 30 de maio de 2017

GRANJA: SESA DIVULGA NOVOS NÚMEROS DE CASOS DA DENGUE E CHIKUNGUNYA

Em uma semana, o número de notificações de dengue subiu de 343 para 354 em Granja, no Litoral Oeste do Ceará. No mesmo período as confirmações de casos da arbovírose também aumentaram no município, de 18 para 20. É o que mostra o boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) na última sexta-feira (26).

Com relação a febre chikungunya, os dados do informativo da Sesa mostram que nos últimos sete dias o número de pessoas suspeitas de terem a doença passou de 184 para 238. As confirmações permanecem em duas, as mesmas do boletim do dia 19 de maio.

A novidade neste último informe da Sesa são as notificações de Zika em Granja. Ao todo, três pessoas no município passaram a ser investigadas por suspeita terem a doença.
Arboviroses no Ceará

No estado, a dengue conta com 39.425 notificações, 9.047 confirmações e três mortes (Fortaleza, Maracanaú e Taboleiro do Norte) no período entre 1º de janeiro de 2017 até a semana passada. De acordo com a Sesa, 65,8% dos casos se concentram nas idades entre 15 e 49 anos, sendo a maioria em pessoas do sexo feminino (55,1%).

Já a febre chikungunya tem 55.971 notificações, 20.515 casos confirmados e 14 mortes no Ceará. Os óbitos ocorreram em Fortaleza (11), Beberibe (1), Caucaia (1) e Pacajus (1).

Dos casos, 66,9% do total concentraram-se entre 20 e 59 anos. A doença também é predominante entre o sexo feminino em todas as faixas etárias à exceção das idades até 14 anos.
A Zika, por sua vez, contabiliza 1.494 casos suspeitos em 2017, com 144 confirmações. Do total das notificações, conforme o informe da Sesa, 35,7% (533/1.494) foram em gestantes, sendo 3,2% (17/533) confirmadas.

Das notificações, 77,7%  dos casos estão na faixa etária de 15 a 49 anos e o sexo feminino é predominante em 77,0%. Os municípios do Estado que confirmaram casos em gestantes foram: Brejo Santo, Caucaia, Icó, Independência, Fortaleza, Maracanaú e Uruoca.
As arboviroses são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

(Folha Granjense)
Postar um comentário